Escolha uma Página

Estar atento ao consumo de combustível das caldeiras é indispensável para garantir que esses importantes equipamentos possam desempenhar corretamente suas atividades! 

Há vários fatores que podem fazer com que a queima do combustível seja mais ou menos eficiente. Sendo assim, dependendo do consumo de combustível, sua empresa pode alcançar, ou não, a performance que espera. 

Para diminuir eventuais perdas, gerir melhor suas caldeiras industriais e otimizar os processos, a seguir, confira as principais questões sobre combustíveis, seu consumo e a importância do seu correto acompanhamento. 

Quais os principais combustíveis para caldeiras?

Em linhas gerais, existem três tipos de combustíveis que podem ser usados em caldeiras:

  • Combustíveis sólidos;
  • Combustíveis líquidos;
  • Combustíveis gasosos.

Cada combustível está disponível em diferentes formas comerciais, bem como níveis diferentes de eficiência, que variam de acordo com a sua necessidade. Saiba mais sobre as propriedades de cada um deles:

Combustíveis gasosos

Os combustíveis gasosos podem variar entre minerais e não minerais. Os mais comuns são os de Gás Natural e Gás GLP, liquefeito de petróleo.

Os combustíveis de gás natural, como o próprio nome indica, é um combustível que vem da natureza. Em geral, é caracterizado pela mistura de hidrocarbonetos leves. Em temperatura ambiente e pressão atmosférica, ele permanece no seu estado gasoso.

Suas características são: incolor, inodoro, resulta em uma queima mais limpa que outros gases, além de eficiência no que diz respeito ao rendimento térmico.

O gás GLP, por outro lado, é um combustível que vem do petróleo e é formado por uma mistura de hidrocarbonetos. Com alto poder calorífico, o GLP traz menores impactos ambientais, com facilidade de queima e armazenamento.

Combustíveis líquidos

Os combustíveis líquidos também podem ter origem mineral ou não. No caso dos minerais, eles são adquiridos através do processo de refinação do petróleo. Isso resulta em gasolina, óleo diesel e óleo combustível.

O óleo combustível é amplamente utilizado na indústria para aquecer caldeiras e é oriundo da destilação de frações do petróleo. Essas, por sua vez, são chamadas de “frações pesadas”, sendo derivadas de vários processos de refino.

O óleo diesel é constituído por hidrocarbonetos e também é um derivado do petróleo. Sua composição principal é: carbono, hidrogênio, enxofre, nitrogênio e oxigênio.

Combustíveis sólidos

Sua popularidade cresceu nos últimos anos, refletindo em mais utilizações industriais. Isso se dá, principalmente, pela questão ambiental, uma preocupação crescente na indústria.

Seu destaque está no potencial renovável, além da sua grande disponibilidade. O representante que mais se destaca nesse segmento é a biomassa.

A biomassa se apresenta em diversas formas: derivados de madeira, bagaços, subprodutos da cana-de-açúcar, etc. É considerada uma fonte de energia renovável, capaz de produzir alto volume sem emitir tantos gases poluentes na atmosfera.

No Brasil, graças à produção agroflorestal e seu clima favorável, o bagaço da cana e derivados de madeira são amplamente utilizados.

Agora que você já sabe quais são os principais tipos de combustíveis, no próximo item, entenda a importância de monitorar o seu consumo! 

Por que monitorar o consumo de combustível?

Dentro dos processos industriais, a contínua busca por melhores maneiras de alcançar eficiência de combustão é de suma importância. Além da eficiência da caldeira, busca-se redução na utilização do combustível e ganhos econômicos.

Dessa maneira, para atingir maior eficiência na performance da combustão, pensar no monitoramento do consumo de combustível é uma etapa essencial. Um volume de ar ideal, por exemplo, é uma exigência para otimizar o uso da caldeira.

Toda caldeira precisa de ar para operar, além dos combustíveis. Sendo assim, o desafio é fornecer a quantidade certa de ar para ocorrer a chamada “combustão completa”.

Quando há uma quantidade de ar menor do que o indicado, o resultado é a produção do gás Monóxido de Carbono (CO). Assim, a combustão final será incompleta. Nota-se essa ocorrência pelo surgimento de uma fumaça preta, que sai pelas chaminés.

Quando há excesso de ar na caldeira, ocorre a redução de eficiência energética. Além de carregar oxigênio, o ar traz também nitrogênio, um gás relativamente inerte.

Por sua vez, o nitrogênio é responsável por diminuir a temperatura dos gases de combustão, o que eleva o consumo de combustível. Ou seja, menor será o desempenho com a mesma quantidade de combustível.

Para que não ocorram problemas como esses, é preciso ajustar o volume de ar no equipamento de acordo com o combustível utilizado. Esse é um passo importante para melhorar a geração de calor em uma caldeira.

No item seguinte, saiba mais sobre as ações que podem ser desempenhadas para reduzir o consumo da caldeira.

Como reduzir o consumo de combustível na caldeira?

O processo de elevar a eficiência da caldeira envolve, basicamente, algumas ações práticas. São elas:

Faça uma manutenção regular das Caldeiras

A função primordial da caldeira é a queima dos combustíveis de forma correta e eficiente. Diante disso, a manutenção das caldeiras serve para identificar possíveis problemas e estabelecer ações preventivas.

Nesse ponto, o papel do técnico é analisar os fatores que podem prejudicar a queima do combustível, visando propor adequações. É por isso que uma manutenção regular se faz necessária e deve priorizar algumas ações como:

  • Identificação do teor de umidade do combustível usado, principalmente no caso de biomassa, com intuito de auxiliar no controle da temperatura;
  • Limpeza da caldeira, regulagem de combustão e medição da temperatura de saída dos gases, buscando eficiência no uso do ar;
  • Aprimoramento da sequência da queima e ajuste da modulação da caldeira;
  • Inspeção para identificar se há perdas de calor ou possíveis defeitos nos equipamentos ligado a esse fator.

O papel da manutenção regular é acompanhar a progressão de qualquer problema que possa diminuir o rendimento do equipamento. 

Estabeleça medidas complementares para obter eficiência

Algumas ações complementares podem ser incluídas no processo, visando o melhor aproveitamento do combustível na caldeira. As principais delas são:

  • Instalação de equipamentos responsáveis por pré-aquecer e aumentar a temperatura do ar de combustão;
  • Utilização de aditivos destinados à regulação da queima dos combustíveis, também capazes de reduzir corrosão e incrustações;
  • Aprimoramento do isolamento do equipamento, para melhor retenção e aproveitamento do calor gerado;
  • Instalação de tanque de condensado.

É importante mencionar que essas ações extras demandam certo investimento, mas ao mesmo tempo otimizam o uso do equipamento e previnem problemas futuros.  Ao investir em melhorias, você reduz as chances de prejuízos.

De toda forma, nenhuma ação complementar substitui as manutenções regulares, medições corretas dos gases, bem como a utilização de caldeiras de qualidade. 

Garantir bons equipamentos, inclusive, é o principal ponto para um consumo de combustível com segurança e eficiência!

Como você monitora o consumo de combustível na sua indústria? Se você quer ficar por dentro das possibilidades de biomassa para geração de energia, clique abaixo e faça o download gratuito do nosso e-book sobre o assunto!

Download de Guia sobre os tipos de biomassa e subprodutos